21/03/2012

MÉTODO CANGURU: Saúde vai ampliar técnica que reduz tempo de internação de recém-nascidos

 

Tempo de áudio:   1min57seg

LOC/REPÓRTER: No decorrer deste ano, o Ministério da Saúde vai ampliar a capacitação de profissionais de saúde no chamado método Canguru. A técnica é usada para estimular o contato pele a pele entre pais e o recém-nascido prematuro ou de baixo peso. A expectativa é de que pelo menos 300 profissionais de hospitais universitários conheçam a prática. A consultora da área da Saúde da Criança do Ministério da Saúde, Zeni Lamy, explica que esses profissionais vão poder multiplicar o método em maternidades de todo o País.

TEC/SONORA: consultora da Área Técnica da Saúde da Criança do Ministério da Saúde - Zeni Lamy

"A ênfase vai ser em capacitar tutores nos hospitais de ensino, considerando que são os formadores de opinião. Você vai ter os alunos da graduação já saindo, envolvidos e com conhecimento sobre o método canguru o que é muito mais efetivo do que você pegar isso depois."

LOC/REPÓRTER: Atualmente cerca de 300 maternidades brasileiras já utilizam a técnica e 800 tutores já estão habilitados. Pesquisas apontam que prematuros submetidos à técnica têm mais chances de sobreviver, como explica o coordenador da Saúde da Criança do Ministério da Saúde, Paulo Bonilha:

TEC/SONORA: coordenador da Saúde da Criança do Ministério da Saúde - Paulo Bonilha

"A mãe permanecer com o seu bebê, se possível a maior parte do tempo em contato pele a pele, por isso o termo canguru, isso permite uma série de ganhos que já estão comprovados do ponto de vista científico que são esses de diminuição de tempo de internação, diminuição de infecção hospitalar, aumento do tempo de aleitamento materno, maior chance de sucesso de a mãe poder amamentar seu bebê é por isso que essa é uma política do Ministério da Saúde."

LOC/REPÓRTER: Na posição canguru, o recém-nascido abaixo do peso que se encontra em UTI neonatal é colocado na posição vertical contra o peito da mãe ou do pai. Reconhecida pelo Ministério da Saúde como política fundamental de atenção ao recém-nascido prematuro, a técnica deve ser realizada por livre escolha da família e orientada por uma equipe de saúde treinada.

Reportagem, Hortência Guedes

Produção da Web Rádio Saúde/Agência Saúde - Ascom/MS
Confira a programação ao vivo, notícias e podcasts da Web Rádio Saúde

<< VOLTAR

Ouvidoria 

Ministério da Saúde
Esplanada dos Ministérios Bloco G
Brasilia-DF / CEP: 70058-900

Acesse o serviço CartaSUS e avalie seu atendimento.

Acessos
Acesso  Brasil sem miseria  Destaques  SaudeComMaisEvidencia  Guia de sinalização de serviços e unidades do SUS
 
Assinatura